Biografia de Charles Chaplin revela promiscuidades da mãe do cineasta


Tá, eu sei que é uma notícia sensacionalista. Mas como não é todo dia que a gente encontra notícias sobre Chaplin (embora ruins) pela net, resolvi compartilhar com os leitores do Blog Chaplin:

O psiquiatra e professor da Washington School of Psychiatry Stephen Weissman estudou a vida de Charles Chaplin (1889-1977) durante anos. Ele pesquisou todos os documentos. Por conta disso, acabou conhecendo de forma detalhada o cineasta.

Os documentos lhe permitiram compor “Chaplin: uma Vida” (Larousse, 2010). Uma das revelações que consta no volume é sobre a vida privada dos pais de Chaplin. Hannah Hill Chaplin, sua mãe, mesmo casada com o pai do cineasta, teve vários amantes, entre eles um suposto membro da aristocracia inglesa que a convenceu a fugir para a África do Sul.

Hannah engravidou fora do casamento, chegou a se prostituir e contraiu sífilis. Chaplin se referiu à sexualidade de sua mãe como uma “trágica promiscuidade”, em romance autobiográfico não publicado, chamado “Footlights”, que ele utilizou como base para o roteiro do filme “Luzes da Ribalta” (1952).

Em um misto de história social, romance e ciência médica, o livro esmiúça o desastroso casamento dos pais de Chaplin. Depois, conduz o leitor ao mundo do teatro de variedades e dá vida às ruas do sul de Londres, ao traumático orfanato Hanwell e, finalmente, por um novo ângulo, à Hollywood das décadas de 1910 e 1920.

O autor vê semelhanças das heroínas de seus filmes com a mãe de Chaplin. A obra detalha, estuda e desvenda a história assustadora que influenciou sua personalidade. Aos 7 anos, o menino foi para o orfanato. O cineasta define esta como a fase mais infeliz da sua vida.

Fonte: Folha Online

Anúncios

Sobre Hallyson Alves

Sou historiador e psicólogo. Desde 2007 pesquiso sobre Charles Chaplin, ícone do cinema mundial, sendo este a principal inspiração para a minha dissertação de mestrado. Foi com o intuito de compartilhar um pouco desta pesquisa, que criei o Blog Chaplin, o primeiro blog com conteúdo exclusivo sobre o artista, em língua portuguesa. Além disso, venho construindo o blog Psicologia e Sentido, espaço reservado para conteúdos relacionados à busca humana pelo sentido da vida.

1 comentário

  1. SIR CHAPLIN

    O que dizer de você
    quando tudo está dito?
    O que falar para você
    Quando tudo está falado,
    Vagabundo amado?

    Da perfeição de um gênio,
    da hilaridade de sua arte,
    a nossa tela de saudades…
    No fundo de todo mundo
    há mais que admiração e respeito
    pelo seu jeito desajeitado tão perfeito.

    Nossa mente tem conhecimento
    de seu chapéu voando,
    cabelos ao vento
    e as abas do paletó flutuando…

    A pantomina mais prodigiosa
    vimos em suas mãos,
    lemos em seu rosto,
    rimos com o coração.

    Seu método de criar lágrimas
    e semear sorrisos é sua grandeza maior
    que encantou décadas de risos.
    Do erro nascia o sucesso,
    as surpresas e os contrastes.

    A eterna luta entre o bem e o mal,
    o rico e o pobre,
    o cheio de sorte
    e o que não tinha nenhuma.

    Agora, quando nosso mundo,
    a nossa vida, a nossa civilização
    se esboroar sob nossos pés,
    quem correrá o risco para salvar a alegria
    e as lágrimas como antídoto contra o ódio e o horror
    e devolver aos nossos espíritos, a fé no sorriso?

    Quem, Carlitos?
    Você soube fazer o mundo ser melhor,
    se encantar, rir e chorar.

    Regina Rousseau

Gostaríamos de saber a sua opinião sobre esse post. Utilize o formulário de comentários abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s